Ir para o conteúdo 6 Pular para o menu principal 5 Pular para rodapé 8
Malhar e correr: Descubra as vantagens de combinar a musculação com a ergometria
Movimente-se 09/09/2016

Malhar e correr: Descubra as vantagens de combinar a musculação com a ergometria

Musculação ou ergometria? Que tal combinar as duas atividades para ter um melhor resultado? É o que os profissionais da área esportiva têm indicado e intensificado às séries daqueles que buscam bons resultado em um curto espaço de tempo. Juntas, as práticas podem trazer muito benefícios para a saúde do corpo e, até mesmo, mental. Conheça as vantagens desse tipo de treinamento e saiba como melhorar a sua performance física.

De forma equilibrada, correr e malhar em um mesmo treinamento consegue complementar as funções que essas atividades não excercem individualmente no físico. Ou seja, apesar de cada uma das práticas beneficiarem uma área do corpo, a união pode trazer vantagens de uma forma geral, como explica a segundo a professora de educação física, Laura Castro de Garay:

“É importante destacar que: tradicionalmente o treinamento aeróbico busca melhorar a capacidade oxidativa do músculo esquelético, a melhora cardiorrespiratória e um melhor desempenho em atividades mais longas e que exijam resistência física. Enquanto o treinamento na musculação visa melhorar a capacidade de produzir tensão muscular, aumento da força e da massa muscular. Apesar das diferenças entre os treinos, ambos trazem benefícios como o bem-estar, a sensação de alegria, motivação física e psicológica, o aprimoramento da aptidão física geral e específica, auto-estima e auto-confiança diante das tarefas diárias”, explica a profissional.

Veja os benefícios das atividades

Corrida: Seja na esteira, na praia, no parque ou na rua, sozinho ou em grupo, correr ajuda a reduzir a gordura do corpo, melhora as tensões presente no dia a dia, auxilia na melhor qualidade de sono, na ansiedade, controla os níveis de colesterol, diminui a pressão sanguínea e benefícia a nossa saúde cardiovascular e pulmonar. Além disso, a prática previne a osteoporose e fortalecer os membros inferiores. A dica na hora da prática é manter uma intensidade constante, para que não prejudique a atividade posterior.

Musculação: Assim como a corrida, malhar ajuda a prevenir a osteroporose e fortalece os músculos do corpo. Além disso, auxilia no controle dos níveis de açúcar no sangue, prevenindo o diabetes, melhora o sistema imunológico, o humor e a flexibilidade, proporciona equilíbrio e também age no sistema digestório, beneficiando as pessoas que sofrem com a prisão de ventre, por exemplo.

Correr e malhar: Qual atividade começar primeiro?

É muito comum nos dedicarmos a primeira fase de exercícios com maior disposição e logo após o cansaço ou a preguiça tomar conta, impedindo um desempenho favorável na segunda atividade. Uma boa maneira de manter o desempenho em ambas os exercícios é começar pela que menos te agrada, assim, irá te impedir de desanimar para a segunda fase de atividades. Segundo Laura, a intensidade na qual realizamos as práticas também irá influenciar diretamente no seguimento do exercício:

“Se a corrida for intervalada e de alta intensidade, irá interferir na capacidade isométrica e de resistência-força dos exercícios na musculação. Porém se a corrida for no modo contínuo (intensidade constante) não há diminuição da capacidade de força máxima e de resistência. A intensidade que o treino será realizado deve ser levado em conta, pois treinos muito intensos (máximos) seja na musculação ou na corrida, devem ser realizados separadamente (manhã e noite), porém o ideal é realizá-los em dias diferentes. Com isso os praticantes evitam o overtraining, isto é, o excesso de treino que acarreta cansaço excessive, fadiga muscular periférica e possível lesão”, ressalta a professora.

“A recomendação, se possível, é realizar no máximo dois dias de treinos combinados (corrida + musculação) na semana e nos outros dias realizar somente um. Um intervalo de descanso de 10 minutos entre cada treino (no caso de combinado) é aconselhável com uma devida hidratação e até mesmo ingestão de alimentos para não haver perda de massa magra devido aos esforços”, reitera a profissional.

* A professora Laura Castro de Garay é CAO na goTeach – Instituição Educacional de Cursos de Educação Física e PhD. em Biodinâmica do Movimento e Desporto (UNICAMP/Portugal).