Ir para o conteúdo 6 Pular para o menu principal 5 Pular para rodapé 8
Alimentação para quem tem gastrite: 8 dicas
Guia Culinário 18/04/2023

Alimentação para quem tem gastrite: 8 dicas

Sabia que a alimentação para quem tem gastrite deve ser bem planejada desde o momento que se acorda até a última refeição do dia? Isso porque existem alguns cuidados básicos com o cardápio – e com os hábitos alimentares – que podem aliviar bastante os sintomas da doença e melhorar a qualidade de vida. A seguir, confira 8 dicas que podem ajudar a manter a azia, indigestão e dor de estômago cada vez menos frequentes. Mas não se esqueça que é essencial procurar um profissional de saúde para garantir uma orientação individualizada para tratar o seu problema, ok?

1. Quem tem gastrite deve evitar passar muitas horas sem comer

Um dos principais cuidados na alimentação para quem tem gastrite é planejar bem as refeições para não passar muitas horas sem comer. Isso porque quando uma pessoa com gastrite fica em jejum por muito tempo, desregula a produção de ácido clorídrico no estômago, o que pode agravar a inflamação da camada de tecido que reveste o interior do órgão e piorar os sintomas da gastrite. Além disso, há também o risco do estômago vazio permitir que o ácido gástrico reflua para o esôfago, causando azia e desconforto.

2. Alimentação para quem tem gastrite deve ser rica em fibras

Alimentos ricos em fibras solúveis, como frutas, legumes, grãos integrais e aveia, podem ser ótimos aliados de quem tem gastrite. Isso porque essas fibras ajudam a reduzir a acidez no estômago, tendo um efeito protetor sobre a mucosa do estômago. Consequentemente, isso pode ajudar a reduzir inflamações e prevenir que úlceras se formem.

No entanto, quando se fala sobre o que é bom para gastrite, é preciso considerar as particularidades de cada caso, ok? Pode ser que alguns tipos de fibras insolúveis irritem a mucosa gástrica e piorem os sintomas da gastrite – como as presentes no feijão, pepino, lentilha, grão-de-bico e ervilha, por exemplo. Sendo assim, consulte um especialista para saber quais são as mais indicadas para o seu caso!

3. Limitar o consumo de cafeína no dia a dia é outra dica

Dentro da alimentação para quem tem gastrite, é interessante evitar a cafeína já que ela pode aumentar a produção de ácido clorídrico no estômago (piorando sintomas como sensação de queimação no estômago, a dor abdominal e a indigestão), além de favorecer o aumento de muco no estômago, o que também pode causar úlceras.

No entanto, é importante lembrar que a quantidade de cafeína capaz de piorar a gastrite varia de pessoa para pessoa. Na prática, algumas pessoas podem tolerar pequenas quantidades na rotina, enquanto outras precisam evitar completamente. E isso vale tanto para o café quanto para bebidas que contém cafeína, como chá preto, chá verde e refrigerantes. Aqui, o melhor remédio para gastrite é limitar o consumo a uma quantidade que não te faça mal.

4. Dê preferência para alimentos ricos em antioxidantes

Sabia que alimentos ricos em antioxidantes podem ajudar a reduzir a inflamação na mucosa gástrica e a promover a cicatrização de úlceras existentes? É por esse motivo que uma alimentação para quem tem gastrite deve ser rica em opções com esses nutrientes, como couve, brócolis, cenoura, linhaça, morango, maçã e laranja.

Os antioxidantes são tão eficientes no combate à gastrite porque ajudam a proteger a mucosa gástrica contra a ação dos radicais livres e outras substâncias nocivas que podem contribuir tanto para a inflamação, quanto para a formação de úlceras no estômago. Interessante, né?

5. Procure mastigar bem os alimentos e comer sem pressa

Vale destacar que no combate à gastrite, além de escolher bem o que se come, é preciso acabar com os hábitos de comer rápido e mastigar pouco, viu? A explicação é simples: quando não comemos devagar e/ou engolimos pedaços grandes de alimentos, sem mastigar bem, aumentamos a produção de ácido clorídrico no estômago e dificultamos a digestão da refeição. O resultado são sintomas comuns de gastrite: sensação de queimação no estômago, dor abdominal e indigestão. Melhor evitar!

6. Evite beber líquidos junto às refeições principais

Outra dica de ouro na alimentação para quem tem gastrite é esperar cerca de 30 minutos a uma hora após a refeição para beber líquidos. Parece só um detalhe, mas quando ingerimos líquidos junto com as refeições, diluímos os sucos digestivos do estômago – incluindo o ácido clorídrico, que é responsável por ajudar a digerir o que comemos. Se esse ácido clorídrico estiver diluído demais, os alimentos levarão mais tempo para serem digeridos, e isso pode causar inchaço, flatulência e dor abdominal, especialmente em pessoas com gastrite.

7. Tente fugir de alimentos muito condimentados e/ou gordurosos

Mesmo que sejam super saborosos, os alimentos gordurosos e/ou muito condimentados – especialmente os fritos, carregados em pimenta, curry ou mostarda, por exemplo –, devem ser evitados na rotina. Esses dois grupos de comida podem agravar dor abdominal e outras manifestações da gastrite porque aumentam a produção de ácido clorídrico no estômago. Ou seja, se o objetivo for priorizar o que é bom para gastrite no dia a dia, experimente optar por opções mais leves e saudáveis sempre que possível.

8. Opte pelas frutas não ácidas para lanches e sucos

Frutas são ótimas opções para lanche e também para sucos dentro de uma alimentação para gastrite, mas prefira sempre as opções não ácidas, como bananas, maçãs, peras e mangas, ok? Elas são mais suaves para o estômago e menos propensas a causar irritação na mucosa gástrica – diferentemente de frutas ácidas, como laranja, limão e abacaxi, que podem irritar as paredes do estômago e aumentar a produção de ácido dentro do órgão.

Com estes bons hábitos na rotina, é possível amenizar os dias em que os sintomas da gastrite estiverem atacados e, de quebra, manter as crises bem longe do dia a dia.